Países menos desenvolvidos enfrentam desafios no financiamento do desenvolvimento sustentável - UNIDA GLOBAL

últimas

24.7.17

Países menos desenvolvidos enfrentam desafios no financiamento do desenvolvimento sustentável

De acordo com relatório da ONU, o crescimento médio do PIB para os 47 países menos desenvolvidos do mundo se manteve baixo, em 3,8% em 2015 – a taxa mais baixa nas últimas duas décadas e bem abaixo do objetivo de 7% estabelecido pelo Programa de Istambul.


A falta de financiamento é um dos maiores desafios para os 47 países menos desenvolvidos do mundo – ou “PMD” – na implementação das metas de desenvolvimento sustentável. É o que demonstra um relatório lançado pela ONU nesse mês (19) em Nova Iorque.

Durante o evento, a recém-nomeada representante das Nações Unidas para os Países Menos Desenvolvidos, Países em Desenvolvimento sem litoral e Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, Fekitamoeloa Katoa ‘Utoikamanu, orientou que os governos trabalhem com parceiros de desenvolvimento, sociedade civil e setor privado para aliviar a pobreza, reduzir a desigualdade e salvar o meio ambiente.

A subsecretária-geral da ONU para o tema ressaltou ainda que os PMD estão entre os países mais vulneráveis, com grandes partes de sua população vivendo em extrema pobreza e com poucas perspectivas para melhorar essa situação.

O relatório deste ano destaca o financiamento do Programa de Ação de Istambul (IPoA), que descreve a estratégia para o desenvolvimento sustentável deste grupo de países até 2020, dentro do contexto dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Entretanto, devido a lacunas no investimento, o relatório alerta para a necessidade de aumento do acesso a todas as formas de financiamento pelos países menos desenvolvidos.

De acordo com o relatório, o crescimento médio do PIB para esses países se manteve baixo, em 3,8% em 2015 – a taxa mais baixa nas últimas duas décadas e bem abaixo do objetivo de 7% estabelecido pelo Programa de Istambul.

Além disso, o relatório observou que a participação dos PMD no comércio total continuou a diminuir – de 1,09% em 2014 para 0,97% em 2015 –, dificultando a meta de 2%.

Como destaques positivos, o relatório evidenciou os progressos em áreas como o setor de transportes e o acesso a eletricidade – esta última passando de 32,3% da população em 2010 para 38,3% em 2014.

Além disso, uma maior parcela das quantidades totais de financiamento climático que flui dos países desenvolvidos para os países em desenvolvimento precisa ser alocada para os países menos desenvolvidos, principalmente para os projetos de adaptação que resultam em uma vulnerabilidade reduzida.

Onu

Nenhum comentário:

Postar um comentário